As tendências apontam que o futuro reserva grandes oportunidades para o mercado imobiliário. Mesmo com a pandemia, o setor se mostrou resiliente e aberto para se adaptar à nova realidade. Exemplos disso são a implantação da presença digital e de novas tecnologias.

Os próximos anos ainda serão um reflexo das mudanças causadas pela COVID-19. Por isso, é importante recapitular e entender o panorama geral do que estamos vivendo. Assim, será possível conhecer as tendências pós-pandemia do ramo imobiliário.

Panorama do setor imobiliário

Após o período de crise entre 2015 e 2017, o segmento ainda estava em fase de recuperação. O início dessa ascensão estava perto de virar declínio novamente. As altas taxas de desemprego, diminuição da renda e incerteza do futuro trazidas pelo vírus estão entre as principais causas.

Ao contrário dessa expectativa, o mercado imobiliário conseguiu se manter em pé. E até gerou dados animadores para um reaquecimento.

Os dois principais motivos para as boas perspectivas são a alta disponibilidade de financiamento e a baixa taxa de juros.

A facilidade de acesso ao crédito foi um grande incentivo para que as pessoas buscassem um imóvel.

Conforme uma pesquisa da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o volume de financiamento entre janeiro e agosto de 2021 foi 107,7% maior em relação ao mesmo período em 2020.

Profissional do mercado imobiliário segurando uma casa de brinquedo enquanto a outra está numa calculadora

Os juros baixos também ajudaram na alta dessa procura por duas razões. Primeiro, a prestação mensal diminui com a baixa da taxa, o que faz com que mais pessoas possam adquirir o mesmo imóvel.

A segunda razão é a aquisição de uma propriedade ou de um fundo imobiliário que se mostrou mais segura e rentável que outras aplicações financeiras.

Além disso, passar mais tempo em casa criou novas necessidades. Agora, o que antes não tinha muita importância, pode ser fundamental na escolha do consumidor.

Por fim, a pandemia também acelerou o processo de transformação digital do mercado imobiliário. Essa mudança trouxe novos desafios para as imobiliárias e os corretores. Ao mesmo tempo, criou diversos benefícios, como redução de burocracia e maior número de leads.

Em outras palavras, o contexto atual do setor imobiliário pode ser resumido em:

  • Alta disponibilidade de financiamento;
  • Baixa taxa de juros;
  • Mudança no comportamento do consumidor;
  • Transformação digital.

5 principais tendências do mercado imobiliário

Com o panorama claro, fica mais fácil entender o que se espera no ramo pós-pandemia. Assim, separamos as 5 principais tendências para a sua imobiliária aproveitar.

1. Ambiente para home office

A prática de trabalhar em casa precisou ser aderida pela maioria das empresas. Por isso, imóveis com espaço dedicado ao trabalho estão em alta e cada vez mais valorizados.

Ainda mais porque muitas corporações estão apostando em continuar com o home office ou adotar o modelo híbrido nos próximos anos.

Jovem mulher trabalhando em home office no seu computador

Alguns aspectos são ideais para esse novo modelo de trabalho. Como, por exemplo, boa iluminação, silêncio, boa conexão com a internet e comodidade. Uma dica para os corretores é apresentar essas características quando contatar o lead.

2. Imóveis com mais espaço

Com as medidas de isolamento, muitas pessoas voltaram a conviver com a família. Locais mais espaçosos que promovam o convívio e também prezam pelo espaço pessoal devem ser mais procurados.

Além disso, espaços pequenos podem gerar uma sensação de claustrofobia, o que também afeta na busca por ambientes maiores.

Vale ressaltar que, nessa procura por maior metragem, o consumidor começou a ter novas preferências:

  • 62% dos entrevistados acham que imóveis com espaços mais bem divididos são importantes;
  • 60% buscam por locais com varanda;
  • 61% preferem imóveis com vista desimpedida.

Os dados são da 4ª rodada da “Pesquisa da Influência do Coronavírus no Mercado Imobiliário Brasileiro” realizada pela DataZAP+.

Ou seja, as características estruturais estão mais relevantes do que nunca. E isso pode ser uma grande oportunidade para a sua imobiliária focar.

3. Espaços próximos à natureza e longe do centro

Durante a pandemia, a procura por qualidade de vida virou prioridade para a sociedade. O bem-estar e a tranquilidade estimulado pelo ar livre tornaram-se mais importantes que morar em um grande centro com filas e trânsito.

Sendo assim, os imóveis com jardins planejados ou cercados pela natureza são uma das soluções do momento.

Destacamos aqui que a busca por natureza afetou não só o segmento residencial, mas o corporativo também.

As empresas estão apostando em imóveis de alto padrão e com espaços verdes. Afinal, os escritórios precisam desenvolver qualidade para que os colaboradores aceitem sair do home office.

Vista aérea de duas casas com carros na garagem e painéis solares

4. Bairros planejados e condomínios completos

Outra crescente é a demanda por uma vizinhança com mais comércio e serviços.

Neste caso, bairros planejados e condomínios completos chamam a atenção, já que eles proporcionam uma ampla infraestrutura aos moradores.

Propriedades e localizações com área de lazer, atividades esportivas, lojas, mercados e salas de reuniões facilitam o dia a dia e dão mais agilidade nos afazeres diários. Do mesmo modo que oferecem mais segurança e menos aglomeração.

5. Uso da tecnologia nas vendas

A digitalização do mercado imobiliário já estava em progresso, mas a pandemia agilizou essa necessidade. Visto que o número de usuários de internet aumentou consideravelmente neste período.

Por causa disso, surgiram diferentes tecnologias para ajudar as imobiliárias e os corretores. Dentre elas, podemos destacar:

  • Visita a imóveis por vídeo chamadas;
  • Tour virtual de 360º;
  • Assinatura de contratos digitais;
  • Fotos profissionais dos imóveis;
  • Ferramenta de gestão de leads.

Ainda que essas tecnologias já estejam em uso, elas continuam como tendência para os próximos anos. Isso porque nem todo o setor imobiliário se digitalizou.

Corretora do mercado imobiliário apontando para o computador e com o celular e uma agenda na mesa de trabalho

De forma geral, toda carência gera uma busca. E, na maioria das vezes, toda busca se transforma em tendência.

Por isso, o afastamento do ambiente de trabalho, a falta de contato com a natureza e os desafios do virtual geraram esses 5 direcionamentos que as imobiliárias precisam prestar atenção e investir.

O Harry pode ajudar você a implementar o uso de tecnologia no trabalho. E, assim, aderir à uma das tendências do futuro.

A nossa ferramenta de gerenciamento de leads imobiliários digitaliza e automatiza o fluxo de atendimento do time comercial. Ou seja, por meio da nossa plataforma ou aplicativo, o profissional sabe em que etapa do funil de vendas o lead está.

Dessa maneira, o corretor pode abordar o consumidor de forma adequada e aumentar as chances de fechar negócio. O Harry envolve todo o fluxo, desde o contato inicial até a venda ou locação do imóvel. Saiba mais como podemos ajudar a sua imobiliária ou profissão.

Conheça o Harry e aproveite as melhores práticas de
gestão de leads no mercado imobiliário.