Há apenas 63 anos, a mulher ganhou o direito de trabalhar no mercado imobiliário. Apesar dos diversos avanços conquistados desde 1958, somente nos últimos anos elas vêm ganhando destaque no mercado.

Segundo o COFECI (Conselho Federal dos Corretores de Imóveis), a participação feminina cresceu 144% na última década. Isso representa apenas 30% dos profissionais desse setor.

Mesmo com um tímido avanço, a popularização do ramo para as mulheres vem acompanhado de sucesso. Algumas características tidas como femininas auxiliam no momento de atender o consumidor e fechar negócio. Por isso, o futuro das mulheres no mercado imobiliário está cada vez mais promissor.

O futuro do mercado imobiliário é feminino

As mulheres também estão ganhando seu espaço como consumidoras. Hoje em dia, o poder de decisão na hora de comprar ou alugar um imóvel tem se tornado mais feminino.

Uma pesquisa da Datastore, Mulheres do Imobiliário e Raquel Trevisan revelou que 87% das entrevistadas concorda que as mulheres são, em sua maioria, decisoras na compra do imóvel.

Um dos motivos para essa influência é a preocupação com a família. Por exemplo, vale mais a pena morar em um local próximo a rede de apoio e ao transporte público. São pequenos detalhes assim que contribuem para a ascensão feminina.

Mulher recebendo a chave do seu imóvel próprio

Da mesma forma, a mulher como profissional tem mostrado um ótimo desempenho no mercado.

A flexibilidade de horários chama a atenção do público feminino para apostar nesse ramo e construir sua carreira. Como também, o fato do corretor ganhar comissões pelas suas vendas. Assim, elas conseguem ter mais tempo para cuidar da família e ganhar autonomia financeira.

Mas esses benefícios aumentam a competitividade do mercado. Por isso, para se diferenciar, as mulheres buscam se especializar e profissionalizar nas suas áreas. Além de estarem mais abertas a experimentar novas tecnologias que ajudam no cargo.

Esses dois grandes pontos separam as corretoras dos corretores. E, também, resultam em mais vendas por parte delas do que deles. Ainda mais se levarmos em conta a transformação digital no mercado imobiliário. Uma vez que os profissionais precisam se adaptar a essa nova realidade.

Mulher do mercado imobiliário mostrando um imóvel a um casal
Outras características femininas que trazem vantagem às imobiliárias são: atenção aos detalhes, compreensão do contexto, habilidades de negociação e comunicação. Essas competências comportamentais geralmente são deixadas de lado pelos homens, por causa das questões culturais.

Por isso, vamos explicar cada uma delas para qualquer profissional se inspirar.

Atenção aos detalhes

Essa capacidade faz com que as mulheres se concentrem não só no todo, mas também nos detalhes. Tudo para entregar soluções de alto nível aos clientes.

Em um mundo que falta tempo, esse olhar crítico é o que pode ser o diferencial nos negócios. Porque o consumidor irá se sentir valorizado por alguém que procura o melhor para ele. Essa é a principal razão do cliente viver uma boa experiência. Como consequência, a imagem da imobiliária melhora, a aquisição de novos leads aumenta e o número de vendas também.

Além disso, a atenção extra aos detalhes permite que a profissional antecipe possíveis problemas que o cliente encontrará no imóvel. Desse jeito, a corretora já consegue desenvolver soluções para contorná-los.

Mulher sentada de frente para um computador enquanto fala no celular e anota algo em um papel

Compreensão do contexto

Cada consumidor possui uma série de necessidades que o produto ou serviço precisa atender. Algumas são objetivas, como o tamanho do imóvel e o número de cômodos. Enquanto outras são subjetivas. Ou seja, não podem ser medidas com instrumentos, como bem-estar e conforto.

As mulheres têm mais facilidade em captar esses pontos intangíveis. Isso faz com que elas busquem alternativas mais adequadas ao seu consumidor.

Por exemplo, se o cliente passa o dia fora de casa, provavelmente uma localização com supermercados, farmácias e restaurantes por perto seja mais conveniente. Dessa forma, o cliente pode aproveitar essa proximidade no tempo livre para realizar seus afazeres.

Jogo de cintura

No final, o sucesso de um corretor se baseia na venda. Para isso, é fundamental ter habilidade de negociação. Neste caso, o público feminino tem mais jogo de cintura, capacidade de ser flexível e tirar proveito das situações, mesmo as difíceis.

É esse raciocínio rápido e empático das corretoras que pode ser o argumento decisório para fechar negócio.

Aqui é possível ressaltar a sensibilidade da mulher de perceber sentimentos e climas em uma situação. Com isso, a profissional consegue sondar o terreno e analisar se é necessário trocar de estratégia ou não.

Profissional do ramo imobiliário mostrando informações para um casal

Facilidade na comunicação

A fama da mulher falar demais é uma competência que elas estão usando ao seu favor no mercado. Mesmo sendo uma característica, muitas vezes, tida como ruim.

As corretoras constroem relações mais sólidas com o consumidor por meio dessa facilidade comunicativa. Consequentemente, proporciona uma melhor troca de informações entre empresa e cliente.

Isso auxilia na procura de soluções com base em detalhes e contexto. E, na hora da compra, a ter jogo de cintura.

A comunicação também ajuda as mulheres a aumentarem seu networking com outros profissionais. Trabalhar essa rede de contatos é fundamental para qualquer um. Já que é uma forma de aumentar oportunidades de crescimento, fortalecer a imagem profissional e se destacar no mercado.

Porque a sua imobiliária deveria contratar uma corretora

Ainda tem dúvidas do porquê o público feminino está conquistando o mercado?

Imagine a seguinte situação: uma família com dois filhos e um cachorro está procurando um imóvel.

  • Cenário A: o corretor leva em conta todas as necessidades do cliente. Mas não busca entender mais a fundo as demandas subjetivas. Suas soluções são casas e apartamentos com diferentes características para dar mais opção de escolha.
  • Cenário B: a corretora dedica seu tempo a conhecer melhor o problema. Na hora de informar suas alternativas ao cliente, ela enfatiza a proximidade com escolas, supermercados, hospitais e parques. Porque são locais que podem ajudar no dia a dia familiar.

Então, você concorda que o segundo contexto traz mais segurança à família?

O estudo sobre o consumidor, a preocupação com a localização do imóvel e, ainda, o fato de ser uma mulher atendendo outra mulher são pequenos fatores que mostram a dedicação e o cuidado que a profissional teve ao lidar com o problema.

É por isso que podemos afirmar que as mulheres chegaram para somar e contribuir com o mercado imobiliário. Afinal, elas que estão sendo protagonistas nesse ramo.

Felizmente, diversas iniciativas e empresas estão surgindo para ajudar na causa de construir um mercado mais diversificado e original que contempla o futuro das mulheres. Mesmo que o segmento ainda seja conservador e tenha um longo caminho a percorrer.

As Mulheres do Imobiliário, por exemplo, é o primeiro grupo feminino do setor imobiliário. Criado pela arquiteta Elisa Tawil, referência no ramo, o projeto tem o objetivo de reforçar o papel e a importância das mulheres nas imobiliárias.

Nós do Harry também estamos colaborando para dados cada vez mais positivos e promissores. Por aqui, já auxiliamos 250 corretoras a mudarem a vida de diversos clientes com a nossa tecnologia de gestão de leads.

Conheça o Harry e aproveite as melhores práticas de
gestão de leads no mercado imobiliário.